13 de junho de 2017

De todos os amores, o próprio

Foto: Guillaume Bolduc

Há pessoas que mesmo perto, se sentem longe. Que mesmo acompanhadas, se sentem sozinhas. Que mesmo amadas, não se sentem completas. Que mesmo sorrindo e recebendo sorrisos, são um puro vazio inexpressivo. Há pessoas de todas as formas e jeitos. Todas elas com alguém ao lado para chamar de meu/minha. Na verdade nem todas elas. Pois algumas são apenas elas por elas. Sem encosto. Sem adição, subtração, divisão ou multiplicação. Apenas elas. Mas não pense que por estarem só, essas pessoas estão de fato só. Não é porque não estão acompanhadas, que são infelizes ou merecedoras de olhares piedosos. Não é porque não somam dois, que o cálculo deu errado.

A vida é muito mais que estar ao lado de uma pessoa porque segundo os outros já está na hora de você encontrar alguém para compartilhar o mundo. É muito mais que postar uma foto acompanhado(a) nas redes sociais no dia dos namorados com um legenda fofa e #hashtags legais. É muito mais que isso! 

É preciso se amar primeiro, para só então amar ao outro. É preciso se conhecer primeiro, para só depois conhecer o outro. É preciso se sentir completo, para só então expandir o limite de capacidade. É preciso ser feliz sozinho, para depois fazer a felicidade do outro. Porque se não for assim, como será? Como poderemos amar alguém se nós mesmos não nos amamos?  Como poderemos conhecer ao outro, se nós nos desconhecemos? Como querer se sentir completo ao lado do outro, se só, era incompleto? Como ser feliz ao lado de alguém, se não é capaz de ser feliz sozinho? Como? Não é possível, a conta não fecha, dá erro. 404 not found.

Não adianta querer ter vários amores, se o mais importante deles você não tem. Não adianta insistir em um relacionamento que no fim você sabe que vai dar errado pela falta de algo. Algo esse que muitas vezes nem é problema do outro. É problema meu. É problema seu. 

Busque o amor próprio antes de buscar o amor do próximo. Porque de todos os amores, esse é o que importa.

LEIA TAMBÉM: A melhor versão de mim mesma

30 de maio de 2017

Sobre a segurança da zona de conforto


É tudo tão calmo por aqui. Confortável. Quentinho. Aconchegante. Seguro. Para que sair? Para que me aventurar pelo mundo afora, se tenho tudo o que preciso por aqui?

Para que ir em busca de novos amores se os que tenho já me bastam? Para que jogar um novo jogo se o que disputo já está ganho? Para que navegar em águas desconhecidas se posso continuar velejando pelas conhecidas? Para que ir atrás de novos sonhos se o que tenho já são muitos? Para que correr riscos se aqui eu não me machuco? Para que?

A vida é uma maré de incertezas. E como tal, as vezes está revolta, as vezes está mansa. Em meio as suas belas e irreverentes águas há sempre uma ilha. Uma ilha confortável e segura, e que apesar de todo o caos que impera a sua volta, continua ali. Firme. Forte. Para uns ela é a zona de conforto, para outros ela é a zona de proteção. Independente dos nomes, ela cumpre uma mesma função: abrigar, proteger, transmitir conforto e segurança para os seus moradores. 

A zona de conforto é convidativa, e uma vez nela, dificilmente o morador tem desejo de sair. Afinal, para que sair de um ambiente tão bom e conhecido? Trocar algo assim pelo incerto? Pelo inconstante? Loucura! 

Há quem diga que não. Que vale a pena sair e se aventurar. Correr riscos. Quebrar a cara. Se machucar. Dizem que compensa toda a dificuldade passada pelo caminho. 

Mas será? Sim? Não? Talvez? 

Não sei!

LEIA TAMBÉM: A melhor versão de mim mesma

15 de maio de 2017

Tenha fé!

"A fé é a certeza de que vamos receber as coisas que esperamos e a prova de que existem coisas que não podemos ver". 
Hebreus 11.1

Foto: Mike Kotsch

Fé é acreditar que aquilo que tanto queremos irá ser realizado. Fé é ter a certeza de que existe sim um Deus lá no céu que cuida de nós. Fé é crer sem ver. Fé é ter convicção. 

No capítulo 11 do livro de Hebreus, o escritor fala sobre os heróis da fé. Homens e mulheres de Deus que acreditaram nas promessas feitas a eles. Essas pessoas passaram por situações diferentes, situações complicadas, e que pela presença da fé, não desistiram. 

Muitas vezes temos tanto medo das coisas e das pessoas, que nos esquecemos de que a nossa vida está nas mãos de Deus.  E que é ele o nosso realizador de sonhos e planos. Mas para que aconteça algo na nossa vida, é preciso ter fé. Sem fé não adianta pedirmos ou fazermos algo. É preciso acreditar que o que fazemos e pedimos será sim realizado. Um grande exemplo disso foi Abraão. Ele teve fé nos planos de Deus para a sua vida e conquistou a benção. Ele acreditou que apesar de já ter uma idade avançada, ele poderia sim ter filhos, pois acreditava que para Deus nada era impossível. Foi pela fé que teve Isaque, o filho da promessa. Foi através da fé que Abraão tornou-se o pai de uma grande nação (Israel). 

Além de Abraão temos também o exemplo de Ester, que acreditou nos planos de Deus para a vida dela e através da sua influência e da ajuda de Deus conseguiu livrar o povo de Israel da morte. Além deles, temos vários outros exemplos de coragem, sabedoria e fé, como Moisés, Raabe, Gideão, Rute, Davi, etc. Foram muitas as mulheres e homens que em meio as dificuldades não desanimaram e continuaram acreditando.

Nos dias atuais temos como exemplo os missionários que pela fé vão cumprir o seu chamado em lugares onde quase ninguém quer ir, e que muitas vezes morrem por amor a Cristo não negando o seu nome. Muitos morreram e ainda morrem pela fé. Fé na salvação. Fé num futuro glorioso ao lado do Pai.

Muitas pessoas acham que a salvação é obtida através de boas obras, de uma vida pobre e cheia de sofrimento. Não. A salvação é obtida pela fé!

Mas fé no que? Em quem?

Jesus Cristo ao ser questionado por Tomé sobre qual seria o caminho verdadeiro, o caminho da salvação, respondeu dizendo "eu sou o caminho, a verdade e a vida; ninguém pode chegar até o Pai a não ser por mim" (João 14.6), e lá em Marcos 16.16, Jesus fala que "quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado". Ou seja, é preciso ter fé em Jesus Cristo para ser obter a salvação, pois se não crermos nEle, de nada adiantará as nossas boas obras.

Mas Jenni, eu não tenho fé, o que eu faço? Ore! Abra o seu coração para Deus, e fale com sinceridade tudo aquilo que você pensa e sente. Fale para Ele sobre a sua falta de fé e do seu desejo em te-la. Um pedido sincero, mesmo que vindo de alguém descrente, será atendido. Mas lembre-se: é preciso ter sinceridade ainda que não tenha fé. Pois Deus sempre ouve um coração sincero que busca conhece-lo.

*todos os versículos bíblicos utilizados nesse texto são da Nova Tradução da Linguagem de Hoje (NTLH)

LEIA TAMBÉM: Onde não há renúncia, não há amor

8 de maio de 2017

Os blogs que me inspiram


A correria do dia-a-dia, as matérias acumuladas, os trabalhos para entregar, os textos para ler, tudo isso faz com que o ânimo e a vontade de fazer as coisas saiam de mim. É cansativo tentar dar conta de tudo. É cansativo não conseguir dar conta de tudo. E é nesses momentos em que tento escrever ou fazer algo minimamente criativo que leio alguns blogs para ter forças a continuar. 

O post de hoje vai ser uma indicação dos blogs que tem me inspirado nos meus bad moments (ps: tem extra musical no final). Os conteúdos deles são variados, tem desde textos motivacionais, a assuntos como vida cristã ou resenhas de filmes e/ou livros. Espero que se sintam em casa neles, assim como eu me sinto <3


 Butlariz, por Lariz Santana
No Butlariz a Lariz aborda temas como série, filmes, músicas, livros, autoestima, produtos, beleza, relacionamento, e blogs. É um dos meus blogs favoritos no mundo para me inspirar a ser mais criativa quando o assunto é blogosfera. Lá você encontra vários tutorias de como personalizar o seu layout, além de dicas extras sobre blogs.

 Depois dos Quinze, por Bruna Vieira
O Depois dos Quinze foi um dos primeiros blogs que comecei a acompanhar, sendo ele quem me inspirou a criar o meu próprio blog <3 Atualmente quem escreve no DDQ é a Bruna Vieira e a sua esquipe (Auana e Fernanda), lá elas compartilham dicas de moda, beleza, bandas, cantores, lojas, etc.

 Entenda os Homens, por Frederico Elboni
O Entenda os Homens é um blog bem amorzinho cheio de contos, crônicas, dicas de filmes, dicas de músicas, e outros assuntos bem legais e inspiradores. Todo domingo tem texto novo do Fred, o criador do blog, mas não pense que é post uma vez por semana. No EOH tem post novo todos os dias graças a equipe maravilhosa de escritores do blog <3


 Letras na Gaveta, por Mariana Menezes
No Letras na Gaveta a Mari compartilha com os leitores: tutorias, textos de amor, dicas para blogueiras(os), dicas de estudo e organização, beleza... O Letras é aquele blog amorzinho que eu sempre entro para ler posts novos e antigos.

 Rodovia Dezenove, por Lolla Camelo
O Rodovia Dezenove aborda assuntos como moda, beleza, séries, filmes e vida cristã. Foi o primeiro blog que eu conheci que fala abertamente sobre Deus. É lá que sempre encontro uma mensagem de amor para renovar a fé e prosseguir em Cristo. Com o R19 foi amor a primeira vista <3

 Sorriso Espontâneo, por Betânia Duarte
Conheci o Sorriso Espontâneo recentemente, e de cara me conquistou. Ele é um blog fofo que aborda assuntos bem legais como: filmes, decoração, fotografia, viagens, diy, moda, música, etc.

Além desses blogs, existem algumas músicas que tem me ajudado nesses momentos. São três álbuns na verdade. Ouço eles sempre: Moderno à Moda Antiga da Marcela Tais, Ninguém Explica Deus do Clovis Pinho, e Preto no Branco do grupo de mesmo nome.

Um beijo, e até o próximo post <3