19 de janeiro de 2017

RESENHA | Minha, por Cinthia Freire


TÍTULO: Minha: um conto da série Segredos
ESCRITORA: Cinthia Freire
PÁGINAS: 173
EDITORA: (publicação independente - Amazon)
ANO: 2016

SINOPSE: Segredos são como fantasmas, nos assombrando e nos fazendo crer que são reais. Todos têm os seus fantasmas. Laura tem os seus e há um ano que eles não a deixam dormir. A solução é passar seu tempo lendo poesias, admirando suas rosas florescerem e as estrelas no céu. Nada pode ser mais seguro do que isso. Até que um jovem misterioso surge em sua vida, virando-a de ponta cabeça. Em uma noite particularmente quente para o inverno, o destino uniu dois corações que não estavam prontos para o amor. Um não tinha mais tempo para isso, o outro era jovem demais para se apaixonar. Uma história sobre o valor do tempo, o resultado de nossas escolhas e como o amor pode transformar vidas. Mesmo aquelas que já não acreditam mais em milagres.

A RESENHA


O último lançamento da escritora Cinthia Freire (que é parceira aqui do blog) foi o conto Minha, que faz parte da série Segredos. É uma publicação independente, disponível apenas em ebook na Amazon.

Minha conta a história de Christopher e Laura, os pais do Gabe (personagem principal do livro Meu erro) e da Clara. Em Meu erro, o primeiro livro da série, somos apresentados a esses dois personagens, mas de uma maneira distinta do conto, pois Laura está presente apenas nas memórias do Gabe, pois já havia morrido a muitos anos, e Chris é um pai não muito presente na vida dos filhos devido as várias questões internas e pessoais. E no conto a escritora nos mostra como tudo começou, e foi a partir de Minha que descobri a beleza e a intensidade do amor do Chris e da Laura, além de compreender as atitudes do Chris no primeiro livro da série.

"Meu coração contraditório, razão da minha dor, é agora dono do meu amor".


O conto se inicia com a lenda do rouxinol, uma lenda árabe que fala sobre o surgimento das rosas vermelhas, e também sobre como o amor pode resistir aos mais diversos tipos de dificuldades. Essa lenda representa bem o amor do Chris e da Laura, e não é à toa que a Laura gostava tanto dela (mesmo antes de enfim conhecer o Chris). O prólogo e o epílogo se passam no presente, mas os 30 capítulos do conto se passam no passado.

Christopher era apenas um turista inglês que estava passando o período de férias na casa do seu primo Jeremy aqui no Brasil em julho 1991. E Laura era a garota que amava poesias, e que as lia durante a madrugada, pois desde que soube que estava com os seus dias contados, pesadelos à atormentavam durante a noite. Mesmo sabendo qual seria o fim dela, eu não sabia como os dois ficariam juntos, como ele lidaria quando descobrisse dos problemas dela, ou como seria o romance dos dois. E foi com todas essas questões em mente que li a história, ansiosa com cada nova descoberta.


Iniciei a leitura durante uma viagem de carro, e cheguei na metade do livro no mesmo dia, porém ao pausar a leitura para ir dormir, não tive mais forças para concluí-la no dia seguinte. Eu sabia que o fim do conto estava próximo, e não queria que chegasse ao fim, mas dias depois tomei coragem e li o restante. E olha, é uma leitura muito bem-vinda, seja para quem já leu o primeiro livro da série, ou para quem não leu ainda. O conto não possui spoilers, nem de Meu erro, e nem dos próximos livros da série, então tanto faz a sua ordem de leitura com ele. E como diz na sinopse, Minha é "uma história sobre o valor do tempo, o resultado de nossas escolhas e como o amor pode transformar vidas".

"Hoje eu tenho a plena convicção de que o que faz a vida valer a pena não são os anos em que uma pessoa vive, mas a maneira com que ela os faz únicos".

Se você ainda não conhece a autora e deseja conhece-la, tem um post aqui no blog falando sobre ela, para acessar é só clicar aqui, e para ler a resenha do primeiro livro da série Segredos, aqui!

13 de janeiro de 2017

TAG | 8 coisas

Em outubro de 2016 a Lariz do blog But Lariz me indicou para responder a TAG 8 coisas, e como boa atrasilda que sou, vim responder meses depois.


8 coisas para fazer antes de morrer
  1. Pular de parapente ou algo do tipo (não sei como isso vai acontecer, já que eu tenho MUITO medo de altura, mas enfim, sonho é sonho)
  2. Fazer um intercâmbio e/ou um mochilão
  3. Escrever e publicar um livro
  4. Trabalhar como voluntária em uma biblioteca de escola pública
  5. Conhecer a Alemanha
  6. Conhecer a Grécia
  7. Conhecer Israel
  8. Aprender uma segunda língua
8 coisas que você ama
  1. Deus
  2. Minha família
  3. Cheirinho de livro novo
  4. Internet
  5. Ler e escrever
  6. Ficar olhando para o céu em noite estrelada
  7. Observar a alegria das pessoas
  8. Salsicha <3


8 coisas que você odeia
  1. Mentiras
  2. Acordar cedo
  3. Ficar ansiosa
  4. Receber mensagens de bom dia/boa tarde/boa noite todos os dias da mesma pessoa (é enjoativo, não gosto)
  5. Cebola de cabeça (gente, me dá ânsia de vômito, não consigo, desculpa)
  6. Café (não é que eu odeie, mas não gosto, prefiro água)
  7. Minha rinite/bronquite (é uma merda quando ataca, quase morro - uma vez foi quase no literal mesmo)
  8. Já disse acordar cedo?
8 coisas que você fala
  1. Eita
  2. Senhor amado
  3. Ai meu pai
  4. Bosta
  5. Puta que pariu (não me orgulho disso)
  6. Não sei
  7. Sei lá
  8. Não posso, tenho que estudar


8 makes/roupas/acessórios que você não vive sem
  1. Protetor solar fator 60 (ser branca de mais dá nisso)
  2. Tênis (não se encaixa em nenhum desses itens, maaas, não vivo sem)
  3. Escovinha para sobrancelha
  4. Camisetas (não vou nem citar calcinha e sutiã, porque né, bem óbvio que sim)
  5. Saias e leggings (não ao mesmo tempo, mas já usei haha)
  6. Sandália (havaianas)
  7. Amarrador de cabelo
  8. Manteiga de cacau
8 objetos que tu não vive sem
  1. Lápis
  2. Livro
  3. Celular
  4. Carregador de celular (porque se a gente não vive sem o celular, o carregador é consequência haha)
  5. Sombrinha (nunca se sabe quando vai chover)
  6. Garrafinha de água (quando estou em casa, ou trabalhando)
  7. e 8. Não faço ideia de quais outros dois objetos eu não vivo sem, então vai essa resposta justificativa mesmo ahsua


8 filmes/livros/séries/jogos que tu ama
  1. 2048 (jogo)
  2. Percy Jackson & os Olimpianos (série de livros escritos pelo tio Rick Riordan)
  3. Um amor para recordar (filme, nunca li o livro do Nicholas Sparks, mas já assisti o filme umas duas ou três vezes)
  4.  Jane the virgin (série)
  5. Lola e o garoto da casa ao lado (livro, da Stephanie Perkins)
  6. Divergente (série de livros da Verônica Roth, gosto inclusive dos filmes, mas obviamente prefiro os livros <3)
  7. UNO (jogo de cartas)
  8. A menina que colecionava borboletas (livro, da Bruna Vieira)
8 blogs para responder essa TAG
  1. Serendipity
  2. Rodovia 19
  3. Letras na gaveta
  4. Sonhos na bolsa
  5. Entre ver e viver
  6. Deixe ela ler
  7. Ouvi por ai
  8. Fotografei

11 de janeiro de 2017

Os teus sonhos e a limpeza interior


A vida é uma caixinha de surpresas. Muitas coisas das quais planejamos realmente acontecem, outras não. E é assim sempre. (In)felizmente. São planos dentro de planos. Planos fora dos planos. E ao listá-los fica mais fácil decidir com clareza quais merecem a nossa prioridade ou não. Fica mais fácil adequá-los ao nosso cotidiano de incertezas, e assim, de algo incerto, tornar-de certo.

Planejar é bom, mas melhor ainda é quando o abstrato torna-se concreto. E para isso, é preciso criar muito mais que uma lista. É preciso lutar para conquistar aquilo. É preciso perseverar no objetivo. É preciso tomar decisões nem sempre fáceis, e se manter firme. Pois só assim as coisas funcionarão.

Mas se você não quiser listá-los, tudo bem também. Existem momentos em que é preciso apenas seguir o fluxo da própria jornada sem (com) muitas surpresas. Momentos em que tudo já está devidamente listado sem necessidade para alterações.

Ao findar um ano, os planos não sofrem interrupções (a não ser que você queira, é claro), eles seguem, continuam. O ano acaba, mas os sonhos não. E se você por um acaso acreditar não possui-los, por favor, dê uma olhada para o seu interior. Avalie o seu coração. E se preciso for, faça uma limpeza. Retire de dentro de ti todas as coisas ofensivas, todas as coisas que a desagrada, que a faz sofrer, que a impede de ser verdadeiramente você mesma. E depois de todo o entulho retirado e colocado no lixo, observe o que restou e tire a poeira. Remova das caixas os objetos de decoração que estão a tanto tempo guardados. Pinte as paredes, e as enfeite com belos quadros. Preencha os espaços vazios com os livros que contenham as suas mais belas histórias, e com porta retratos que emoldurem os seus mais lindos sorrisos. Depois de tudo isso feito, olhe para o seu interior mais uma vez e perceba o quão acolhedor e belo ele está. 

Veja, tudo está lindo, mas percebesse que ainda há lacunas esperando para serem preenchidas?

Sente e sonhe com o futuro. Aproveite, esse é o seu momento. Seja você mesma, e coloque nos seus planos exatamente tudo aquilo que precisa conquistar para preencher os seus espaços vazios. Após sonhá-los e listá-los, trace metas, veja o que você pode fazer para conquistá-los, e conquiste-os. 

O mundo é muito grande, e a vida muito curta para não aproveitá-los ao máximo. Portanto, viva garota. Viva!

9 de janeiro de 2017

Página 9 de 365



Para 2017 eu quero paz, saúde, e muito amor. O resto é consequência. Não criei uma lista de coisas para fazer, assim como no ano passado. Eu apenas quero deixar rolar (ou quase isso). Sim, fiz uma lista, mas de coisas que quero comprar/iniciar nesse novo ano que chegou. Coisas que irão facilitar bastante a minha vida no futuro próximo.

Acredito que 2017 para mim será um ano de meio de caminhada, a continuação do processo para a conquista dos meus sonhos. A realização de um sonho. Um ano bom. 

Quero me dedicar ao blog e fazer daqui um cantinho melhor e maior. Quero continuar crescendo como ser humano. Quero me manter firme nos meus sonhos para torná-los reais. Quero ser melhor para mim mesma e para Deus. Quero deixar os meus medos de lado.

Em 2017 quero ser apenas eu. Jennifer. Sem adjetivos. E espero que vocês possam ser vocês mesmos também.

Que nesse novo ano, sonhos tornem-se realidades, o amor seja compartilhado, e a esperança mantida. Hoje estamos na página 9 de um novo livro, mas ainda existem outras 356 esperando para serem escritas.

Não podemos reescrever o passado, mas podemos escrever o futuro. Portanto, que assim seja.

Jennifer Constantino,
página 9 de 365