24 de maio de 2016

Diário de Viagem: Fortaleza de São José da Ponta Grossa



No primeiro Diário de Viagem eu contei como foi a minha visita ao Projeto Tamar, no diário de hoje vou contar como foi conhecer a Fortaleza de São José da Ponta Grossa, localizada no morro da Ponta Grossa, tendo como vista a praia do Forte.

Em meu segundo e último dia em Florianópolis eu e minha família visitamos a fortaleza já mencionada. No caminho passamos por Jurêre. Gente, que bairro lindo! Como disse o meu pai, parecia que tínhamos saído do Brasil e ido para os EUA. Sério, as casas, as ruas, tudo muito lindo! Tudo muito MA-RA-VI-LHO-SO! O caminho até o forte é todo feito por terra, e para chegar nele também passamos pela praia (agora fica aquela dúvida, era a do Forte ou de Jurêre? Bom, eu não sei, mas a água e a paisagem eram lindas do mesmo jeito hahah).





No início eu era a única disposta a entrar realmente na fortaleza e não apenas observá-la do lado de fora, mas depois de conseguir a autorização do meu pai e ir com a mãe, depois de uns longos minutos a família toda resolveu ir também. Sobre esse episódio eu tenho algo a contar. Depois de convencer meu pai que o valor da entrada era justo e ele me dar o dinheiro, falei com a mãe para onde estava indo e ela resolveu ir junto. Entramos no forte, apreciamos a vista para o mar, demos uma volta no lugar, e quando estávamos na casa dos guardas (não sei o nome certo) meu pai ligou perguntando onde estávamos. Minha cara foi de “ãn?” “como assim?”. Falamos que tínhamos entrado no forte, e ok. Depois disso eu não lembro exatamente a ordem dos fatos, mas sei que eu dei uma volta ao redor do forte procurando pela família enquanto a mãe me esperava do lado de dentro, não os encontrei, e depois lá dentro de novo, meu pai ligou dizendo que estavam na praia e que iam para o forte também. Sério, reclamaram do preço e depois foram para lá. Não entendi. Enfim, no dia eu estava puro suor e alegria haha.





Pagamos cerca de R$8,00 para entrar no forte, e depois disso foi só alegria (ó essa palavrinha aqui de novo). Me empolguei muito em conhecer o lugar, e preciso confessar que mesmo antes de cursar História eu já era fascinada com lugares antigos.











Não sei quem ficou mais emocionado(a) em ver os canhões, se foi eu ou o meu irmão. Na fortaleza tem também uma capela, uma casa onde ficava o quartel da tropa, e a casa do comandante. A minha sensação ao entrar nesses lugares foi de alegria, tanto pela história do lugar, quanto em ver que o local está muito bem conservado.










Super recomendo a visita para quem gosta de lugares cheios de histórias e memórias. E vocês, já conheceram algo parecido? Se sim, como foi a sensação de estar em um lugar histórico?

Nenhum comentário:

Postar um comentário