QUAL CURSO ESCOLHER? | Maquiagem Profissional

28.10.16


Essa entrevista faz parte do projeto Qual Curso Escolher?, que tem por objetivo ajudar você que ainda não escolheu uma graduação para chamar de sua, ou que já escolheu, mas que não está satisfeito com a escolha. O projeto é composto por várias entrevistas com acadêmicos de diversos cursos de graduação. Para saber mais sobre o projeto, e ler outras entrevistas, é só clicar AQUI.

Nome: Larissa Antonelli
Idade: 20 anos
Instituição: Universidade Anhembi Morumbi
Fase: 4º
Curso: Estética e Cosmética com Ênfase em Maquiagem Profissional

Porque você escolheu fazer o curso de Estética e Cosmética com Ênfase em Maquiagem Profissional?

Cara, é bem extenso. Eu posso começar falando do meu envolvimento nada programado com a maquiagem?

Pode sim!

Então, eu nunca imaginei na minha vida que eu me tornaria maquiadora e que eu colocasse isso como uma carreira na minha vida. Desde nova, nunca fui aquelas meninas que viviam em um mundo cor de rosa, usavam maquiagens e eram vaidosas. Passei maquiagem pela primeira vez aos 14 anos. Geralmente quem trabalha nessa área, ou é muito apaixonado e vaidoso, ou tem alguém na família que trabalha no meio. E comigo foi totalmente diferente! Não tenho parentes que trabalham e eu também nunca fui uma "mocinha", digamos. Só que, um belo dia, fui modelo de maquiagem no Instituto Embelleze (que logo após seria o meu primeiro curso de maquiagem). Eu sempre sofri muito de baixa autoestima. Muito mesmo! Crises de me auto machucar, sabe? Nunca desejei isso nem para o meu pior inimigo. E no momento em que eu me vi maquiada, eu me senti tão bem! Depois desse dia, em meados de 2011, comecei a ver vários vídeos de maquiagens no youtube. Comecei a me apaixonar pelas técnicas de transição das cores, pela transformação. Comecei a encarar como arte! E além disso, brotou em mim uma vontade gigante de querer transformar os outros. A primeira vez que fiz uma maquiagem - bem bosta, diga-se de passagem [risos] – foi na minha irmã. Cara, foi surreal o sentimento que eu tive. Não tem dinheiro que pague a sensação de você arrancar o sorriso do rosto de alguém, de ajudar aquela pessoa a se amar ainda mais. E depois de usar várias vezes a minha irmã de cobaia, decidi fazer meu curso na Embelleze. Mas mesmo assim, mesmo depois de me formar, eu nunca imaginei que levaria tão a sério! Mesmo nessa época, eu pensava em cursar Jornalismo ou Administração (nada a ver comigo). Mas aí, em 2012, comecei a notar que nenhum dos empregos que eu arrumava em escritórios, empresas e pá, davam certo. NENHUM. Acontecia umas coisas absurdas tipo, eu ia numa entrevista e o gerente era mandado embora no mesmo dia. Eu começava a trabalhar, e do nada, a empresa durava sete dias. Wtf? Parecia que era algo me dizendo que eu estava indo para o caminho errado. Não estava fazendo o que eu realmente amava! Daí falei, puts, e agora? Estou no segundo ano do ensino médio e nem sei o que será da minha vida, crise existencial sinistra. Foi aí que uma amiga minha disse que tinha uma amiga que estudava Maquiagem Profissional na faculdade. Fui pesquisar sobre o curso e tive meu primeiro contato com maquiagens artísticas, cenográficas e de efeitos especiais. OBVIAMENTE me encantei demais! Tanto que hoje em dia quero me especializar em um desses segmentos mais conceituais e artísticos. E foi assim que eu escolhi meu curso.

Que história! E o que te faz acreditar que esse é o curso certo?

É simples: eu não sinto vontade nenhuma de fazer outra coisa. Sério, não tem segunda opção. Talvez Fotografia, que é algo que eu também amo, mas sabe, não tem nada que eu faça com tanto amor como maquiar. É do fundo da alma mesmo, eu faria até de graça!

Ao entrar no curso você tinha muitas expectativas? Se sim, quais eram? Elas foram supridas?

Em relação infraestrutura da faculdade?

Em relação ao conteúdo, mercado de trabalho, a tudo.

Eu tinha muitas expectativas que não foram supridas sim. O curso existe em apenas uma única faculdade do brasil: Anhembi Morumbi. Ou seja, não existe competitividade. A faculdade tem até uma boa estrutura, só que é o básico do básico. E pelo valor desembolsado, é meio bad [triste] sim. Em relação ao conteúdo, existem cursos especializados em determinadas áreas que são mais completos. Mas, em comparação com cursinhos básicos, tipo Senac, é MUITO mais além. Você aprende técnicas para todos os segmentos, matérias como por exemplo, Bodypainting <3 Nós nunca estamos satisfeitos com tudo, né? Eu realmente acho que a faculdade precisa melhorar muitas coisas. Entretanto, o curso tem apenas 8 anos de existência, e muitas coisas já melhoraram e vão melhorar! Mercado de trabalho mudou muita coisa. Hoje tenho mais visibilidade, sou indicada para vários eventos. Maquiei com a empresa Natura na São Paulo Fashion Week, fiz vários jobs com marcas internacionais, dentre elas a renomada Temptu. Fora o diploma com o nome da Anhembi, que é bem forte. Quando digo que não existe competitividade e esse é um problema, é pelo fato de que as vezes, a faculdade não dá tanta bola para os alunos porque não temos opção: ou é se formar, ou não. Não tem outra faculdade para "amedrontar" a instituição.

E quais são as diferenciais do seu curso (o que faz ele ser o que é, a sua importância)?

Exatamente pelo fato de que existem matérias que ninguém vai aprender em qualquer curso de maquiagem por aí! Pintura corporal, produção de moldes de rosto com gesso para as futuras próteses na matéria de Efeitos Especiais... Fora as aplicações de gelatina, silicone, látex, etc. Um curso completão desse, você só faz na faculdade. Ou, você se especializa em alguma dessas áreas, que também é uma boa. Mas acho a faculdade muito mais interessante, pois você tem um contato com todas as áreas!

Que legal!! No caso o seu curso ensina além das maquiagens convencionais né? Ele vai para um lado mais artístico também.

Sim, maquiagem teatral, circense, cenográfica para cinema e televisão. Efeitos especiais (cortes, próteses, monstros, criaturas), bodypainting, etc. Tem também foto e passarela, que dá para ir para os dois lados: embelezamento e conceitual, obvio que estou sempre no conceitual [risos].

Bem interessante mesmo! E como é a sua vivência enquanto acadêmica?

No momento? Morta. São muitos trabalhos e projetos. MUITOS. Tivemos essa semana o halloween, um super evento do pessoal de maquiagem. Montamos labirinto e várias outras atrações na faculdade com vários monstros espalhados. E também, algumas maquiadoras ficaram responsáveis por maquiar o público com feridas. Fora os projetos integrados, esse semestre, terei que entregar um editorial de moda conceitual, enorme e bem detalhado. Ah, e temos o TCC também pra entregar. Sabe, é um curso que não te faz parar nunca. Você está sempre criando, aprendendo. É um curso que te esgota, que muitas vezes mexe demais com o seu ego profissional, pois escuta muitas coisas que não esperava ouvir. Só fica quem ama MESMO. Muita gente desistiu. Começamos com quase 70 alunas, agora, são só 27.

Uma diferença bem grande mesmo de alunas que ficam. Você já está na reta final do curso?

Sim. Estou no penúltimo semestre graças a Deus! Junho do ano que vem me formo.

Que notícia boa!

Ótima!

E falando nisso, com relação ao mercado de trabalho: em quais lugares você vai poder trabalhar tendo como diploma o curso com ênfase em Maquiagem Profissional?

Na verdade, hoje em dia para você trabalhar com maquiagem, só basta você acordar um belo dia e dizer, nossa, acho que vou virar maquiador. Sério! Só que com o diploma da faculdade eu tenho muito mais chances, e uma visibilidade enorme com grandes marcas e empresas. Geralmente nos jobs e eventos, eles perguntam a graduação. E entre Senac e um curso superior na área, eles sempre acabam optando pelo curso superior. Fora o nome da universidade, que é de peso.

E qual o conselho que você dá para aqueles que estão pensando em cursar o seu curso?

O conselho que dou para todos os vestibulandos: pensem muito bem antes de decidirem qual curso optar. Eu sei que alguns pais ficam fazendo pressão, mas é muito frustrante ficar pulando de um curso para o outro, gastando dinheiro à toa. Vale a pena pensar, pesquisar, ir visitar a faculdade, conhecer pessoas que façam o curso e então, decidir realmente se é aquilo ou não. Eu já tinha muita certeza do que ia fazer, por isso, não me arrependo de absolutamente nada.

Então o conselho é esse: ter certeza do curso que vai escolher para não se arrepender depois.

Exato! E para quem ama maquiagem, eu aconselho não entrar em um mundo imaginário, achando que é uma maravilha. Você tem que amar a profissão de maquiar, e não simplesmente a maquiagem como um produto aplicado em você. E tem que gostar de todas as áreas mesmo. Não necessariamente seguir, mas tem que gostar. Porque se não, não consegue continuar.

Essas eram as perguntas, muito obrigada por conceder a entrevista para o blog Lari <3

Você já sabiam que também há curso superior de maquiagem? Confesso que eu descobri só quando conheci a Lari, que aliás, já gravou uma vídeo (aqui) para o canal dela falando sobre o curso. Espero que tenham gostado da entrevista, e se quiserem conhecer mais o trabalho dela, é só acessar o blog Larissa Antonelli, onde ela dá várias dicas bem legais sobre make!

Obrigada a todos que estão acompanhando o projeto (semana passada a entrevista foi com um acadêmico de Letras, para ver, é só clicar aqui). Até a próxima, beijos <3

Leia também

0 comentário(s)