De todos os amores, o próprio

13.6.17

Foto: Guillaume Bolduc

Há pessoas que mesmo perto, se sentem longe. Que mesmo acompanhadas, se sentem sozinhas. Que mesmo amadas, não se sentem completas. Que mesmo sorrindo e recebendo sorrisos, são um puro vazio inexpressivo. Há pessoas de todas as formas e jeitos. Todas elas com alguém ao lado para chamar de meu/minha. Na verdade nem todas elas. Pois algumas são apenas elas por elas. Sem encosto. Sem adição, subtração, divisão ou multiplicação. Apenas elas. Mas não pense que por estarem só, essas pessoas estão de fato só. Não é porque não estão acompanhadas, que são infelizes ou merecedoras de olhares piedosos. Não é porque não somam dois, que o cálculo deu errado.

A vida é muito mais que estar ao lado de uma pessoa porque segundo os outros já está na hora de você encontrar alguém para compartilhar o mundo. É muito mais que postar uma foto acompanhado(a) nas redes sociais no dia dos namorados com um legenda fofa e #hashtags legais. É muito mais que isso! 

É preciso se amar primeiro, para só então amar ao outro. É preciso se conhecer primeiro, para só depois conhecer o outro. É preciso se sentir completo, para só então expandir o limite de capacidade. É preciso ser feliz sozinho, para depois fazer a felicidade do outro. Porque se não for assim, como será? Como poderemos amar alguém se nós mesmos não nos amamos?  Como poderemos conhecer ao outro, se nós nos desconhecemos? Como querer se sentir completo ao lado do outro, se só, era incompleto? Como ser feliz ao lado de alguém, se não é capaz de ser feliz sozinho? Como? Não é possível, a conta não fecha, dá erro. 404 not found.

Não adianta querer ter vários amores, se o mais importante deles você não tem. Não adianta insistir em um relacionamento que no fim você sabe que vai dar errado pela falta de algo. Algo esse que muitas vezes nem é problema do outro. É problema meu. É problema seu. 

Busque o amor próprio antes de buscar o amor do próximo. Porque de todos os amores, esse é o que importa.

LEIA TAMBÉM: A melhor versão de mim mesma

Leia também

8 comentário(s)

  1. eu tenho isso como um mantra, o amor próprio é o que mais precisa ser cultivado, pensamos tantos nos outros as vezes que esquecemos de nós!

    Blog Entre Ver e Viver

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se a gente não amar a nós mesmas, como vamos amar o outro não é mesmo?

      Excluir
  2. Amor próprio é tudo né? É um sentimento maravilhoso, que todos deveriam ter dentro de sí.
    https://faahsantos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Amei esse texto, Jenni <3 Com certeza se não amarmos a nós mesmos em primeiro lugar não podemos amar outro alguém por completo, tampouco nos permitirmos sermos amados. Sempre temos que lembrar de cultivar a chama aqui dentro, para que ela não se apague.

    Beijos!

    Letras na Gaveta ❤

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que tenha gostado do texto Mari <3 Verdade, o amor próprio precisa ser sempre cultivado, se não aos poucos ele morre :(

      Excluir
  4. Realmente, Jennifer, o amor próprio é o mais importante! Até pq se a gente não se ama e se conhece de VERDADE não temos como escolher o que é melhor para nós, assim fica ainda mais difícil de encontrarmos um relacionamento que merecemos e que pode realmente acrescentar amor a nossa vida. Afinal, não é o amor que nos faz cuidar uns dos utros? Precisamos cuidar de nós mesmos para não ficarmos suscetíveis a carências, a opiniões externas e até mesmo a desejos que não são o melhor para nós. Mas, como saber o que realmente tem chances de nos fazer ainda mais felizes senão nos conhecendo e amando? Eu honestamente não sei, nem acredito que haja ura forma senão pelo caminho do auto-amor, auto-cuidado, auto-conhecimento.
    Belo post de dia dos namorados! Que o amor prevaleça sempre, sozinhos ou acompanhados!
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade Bárbara, para não nos deixarmos levar pelas coisas de fora é preciso se autoconhecer, se amar. Muito obrigada pelo seu comentário <3 beijos.

      Excluir