Eu vejo um futuro em nós

17.10.18


Eu nunca disse isso para você, mas te acho incrivelmente lindo enquanto toca. Não tem nada a ver com a sua beleza física (embora isso lhe favoreça bastante), mas sim com as sensações que você transmite enquanto dedilha as cordas do violão, ora com suavidade, ora com violência. A sua música é poesia. É aquele respiro gostoso que a gente dá depois de um dia inteiro de trabalho. É acalento.

O seu cabelo cor de ouro lhe acompanha enquanto toca, e por mais que você insista em tentar prendê-lo não consegue, pois assim como todo o resto de você, ele possui vida própria. Ele não fica parado, ele o acompanha. Seja nas notas mais lentas ou nas mais embaladas. E pode ser coisa da minha cabeça perdidamente apaixonada, mas isso o deixa ainda mais enigmático e interessante.

Hoje é um dia especial, é a celebração de mais um ano de casados dos seus avós, e você como músico da família ficou encarregado de alegrar à noite, algo que faz sem muito sacrifício, pois a música está em você. Portanto, tudo o que faz relacionado a ela é com paixão, com amor, com verdade.

Tá, talvez eu esteja falando um monte de besteira, pois entendo pouco de música e dificilmente perceberia se você errasse as notas, mas sei o suficiente para saber que quando você toca, você o faz com a alma. Não são apenas acordes distribuídos sem sentido. São sentimentos em forma de melodia.

Agora enquanto finaliza as últimas notas daquela linda canção do Ed Sheeran que eu nunca lembro o nome e canta diretamente os últimos versos para mim, eu sei mais que nunca que o que temos é real. Não somente pela declaração de amor em forma de palavra e melodia, mas pela forma como você me olha. Sinto o seu carinho genuíno de longe, e eu não poderia estar mais feliz. Pois depois de todas as decepções que sofri, eu vejo um futuro em nós. Agora posso finalmente dizer que conheci e me deixei conhecer por alguém que amar não irá doer.

Leia também

0 comentário(s)

Facebook